Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

Estou de volta!

Et voilá! Cá estou eu de volta à minha rotina depois de alguns dias afastada aqui do meu cantinho.

 

O N. teve uma grande ponte e veio passar estes dias todos a casa. Mas não veio só, além do Pimentinha trouxe outra companhia: o irmão.

Como podem imaginar, não parámos um bocadinho. Aliás, parámos, quando o irmão foi dar missa na igreja daqui (sim, o irmão do N. foi ordenado padre recentemente).

 

Foram uns dias bem passados mas como tudo o que é bom acaba depressa, já voltámos todos aos nossos afazeres do quotidiano.

 

A partir de agora já aparecerei por aqui com regularidade a contar e a desabafar o que me vai na alma e no coração.

De volta à vida real.

Estou de volta à minha rotina. Acabaram-se as férias no meu castelo altaneiro com o meu príncipe e o meu fiel escudeiro. 

 

É um regresso à "real life", ao enfrentar dos problemas, à busca de soluções ao seguir em frente de garras afiadas e dentes à mostra nesta luta diária que agora se impõe.

 

A vida dentro de uma bolinha de sabão que nos protege do mundo apesar da sua fragilidade, terminou. O "luto" também vai aliviando, embora o sentimento de injustiça e de incredulidade pelas justificações dadas continue a pulsar dentro de mim num qualquer cantinho recôndito.

 

Apesar de tudo, já encaro as coisas de outra forma, o tempo ajuda sempre a olharmos as coisas com uma dimensão diferente. 

 

Não perdi a Esperança de que as coisas melhorem, de que isto não passe apenas de (mais) uma fase menos boa e que irá passar. Tenho Esperança  que algo bom esteja reservado para mim. Quero muito acreditar nisto.

Let's smile!

E já estamos outra vez na sexta-feira. E pra mim significa o primeiro dia de trabalho desta semana. Esta interrupção lectiva teve o seu lado positivo (tive o meu N. comigo, coloquei o trabalho em dia e acabei de ver os meus testes) mas por outro não tem graça absolutamente nenhuma.  

 

Financeiramente falando, este mês já é mais curto e como não trabalhei dois dias, o ordenado deste mês vai ser uma miséria. Malditos recibos verdes! Grunf!

 

Este fim de semana volto a ficar all by myself. A sacana da crise lixa-me de todas as maneiras e feitios, já viram? Eu bem a tento afastar mas ela é mais teimosa do que eu, arranja sempre uma forma implacável de me ganhar.

 

Mas não vou desanimar por todas estas coisas. Vou manter-me com pensamento positivo, escudar-me atrás de boa disposição e dar um sorriso ao sol.

Back To Work

 

Regressei, dolorosamente, à minha vida activa. Ter que madrugar para voltar a entrar na rotina, dó muito até que volte a entranhar-se nos hábitos quotidianos.

 

A preguiça e a inércia só voltaram a passar por cá nas próximas férias de verão. Os seus serviços foram cessados... por enquanto!

 

A inspiração, essa, é que ainda não voltou das férias. É uma entidade privilegiada a quem foi concedida liberdade total, sem dia, hora ou local marcado para aparecer.

Talvez seja falta do contacto assíduo entre pale e caneta ou até mesmo entre o pc e o teclado.

 

Vou até ali espreitar por entre as árvores para ver se ela surge de algum lado...

 

Até já!

 

September Rain

 

Ai que saudades de um belo dia passado em casa a ouvir a chuva cair lá fora!

Hoje foi um dia de produção zero, ou seja, não fiz absolutamente nada. E também não convinha muito, como explicarei adiante.

 

Alguém aventa uma hipótese de como iniciei o meu dia? Hã? Parece que ouvi qualquer coisinha lá ao fundo… Isso mesmo! Fui fazer o penso. Lindos meninos!

Mas nem vos digo como é que acordei… Foi atchim pra cima e pra baixo e atchim pra todos os lados. E de uma maneira como há muito não acontecia.

Agarrei o nebulizador e dei-lhe duas snifadelas com cada narina. E os meus olhos? Estavam na última: ultra-vermelhos e chorosos. Parecia que estava com uma grande pedrada. Ou então que tinha saído de algum filme de terror…

Foi vestir a correr para sair de casa o mais depressa possível. Tem que ser assim quando estou neste grau de alergia. Tenho que apanhar ar “puro”.

 

Fui tomar o pequeno-almoço ao café da Dona A. e comi o que é da praxe: um descafé e uma coxinha de galinha. Até isto vai acabar em breve. :(

Encontrei lá a minha priminha B. que foi comer o adorado rolinho de carne.

A seguir fui à farmácia comprar droga. Sim, é verdade. Um anti-histamínico diferente, umas gotas para os olhos e uns supositórios para as cólicas renais da mãe., que disse que ia imediatamente tomar um. A farmacêutica respondeu-lhe que ali no meio da farmácia não dava muito jeito e eu concordei e disse que só se fosse com um copinho de água… LOL!

 

Cheguei ao centro de saúde, tinha 5 pessoas à frente. Onze e meia… pode ser que ao meio-dia esteja despachada, pensei eu. Sentei-me e observei a sala para descobrir os possíveis “pensódependentes” como eu. Nada. O top ten hoje foram os aerossóis.

Acreditam que eu só fui chamada ao meio-dia e meia?! Uma hora para atender C-I-N-C-O pessoas… Mas ao menos o penso ficou 5 estrelas, bem feitinho.

 

Cheguei a casa, almocei e não fiz nada em todo o dia. “Porque é que não fizeste nada”, perguntam vocês. Porque quando estou com estes atchins todos, o melhor a fazer é ficar sugadita sem me mexer e sem mexer em nada. Ao mínimo movimento lá voltam os atchins outra vez. Assim, aproveitei para “papar” as porcarias da TV e ouvir a chuva intensa a cair lá fora…

 

 

Afinal Também Há Outra…

Adivinhem lá como começou o meu dia hoje… Exactamente! Com a minha ida ao penso.

Levantei-me cedinho, arranjei-me e saí de casa toda lampeira na esperança de chegar cedo ao centro de saúde e conseguir não ter muita gente à minha frente… e nem levar uma grande seca!

Cheguei ao centro de saúde eram 10 horas em ponto. Não valia a pena ir muito mais cedo pois só abre às 10 horas. Tirei a minha senha e fui sentar-me, cuidadosamente, à espera de ouvir em que número ia. Tinha 16 pessoas à frente.

Pensei com os meus botões: “Ok, Pessoinha, tas feita… hoje sais daqui ao meio-dia.” Não tive outro remédio senão esperar com aquela paciência de Job que eu adquiri recentemente. Ainda por cima não tinha cá o N. para ir mandando uns bitaites, de efeito calmante, cá para fora. Epá, uma pessoa seca e resseca ali e tem de estar calada?! Náaaa… Tou farta de dizer que só me calo quando morrer e mesmo assim não sei… Sou capaz de ficar com algum tique involuntário nos maxilares e começar a bater o dente…

 

Bom, passou uma hora e o meu “backside” começou a queixar-se. Ajeitei-me na cadeira e disse-lhe que tinha de aguentar mais um bocadinho pois aquilo hoje estava mau. Tinha montes de pés à minha frente e um par de braços. Coitada da mulher! Devia ter braços solidários, pois o que aconteceu a um, aconteceu a outro. Parecia que tinha luvas até aos sovacos.

Para além destes pensos que levam eternidades a fazer, ainda tinha os das consultas. Lembram-se que eles nos passam à frente? Dois minutos de consulta e mais dois de tratamento e em 5 minutos estão despachados. Voilá!

Juro que, se para a semana as coisas tiverem assim, também vou a uma consulta!!! Digo que estou cheia de dores e não aguento mais!

 

Depois há o encontro das pessoas que, tal como eu, não têm outro remédio senão ir fazer o penso todos os dias. E chegamos todos uns atrás dos outros, até parece combinado!

Hoje havia uma novidade: outra rapariga de bujão ao lado, tal como eu. Pensei logo: Mau… não me digas que esta agora vem tirar-me o protagonismo…” (LOL)

E depois há sempre as curiosas. Fiquei, ou melhor, a sala inteira ficou a saber que ela tinha um quisto dermatóide no cóccix. Eu “apresentei-me”: Pessoinha, fistulectomia perianal com brinde extra de uma fissura". Depois a rapariga dizia que não se podia sentar, que lhe doía. Mas não parou um segundo: levanta, senta, anda e vá de comprar coisas na maquinetasdo café.

Éramos duas patas-chocas de rabo ao lado a circular pela sala.

 

O tempo passava e ninguém era chamado. Passei-me dos carretos! Levantei-me e fui investigar quantas pessoas estavam à porta dos tratamentos sem senhas. Por acaso não estava nenhuma. Faltavam 2 números para eu entrar. Mas já não era meio-dia… Eram 15 para a 1. Saí de lá à 1 hora da tarde. Até já estava a ver tudo aos quadradinhos…

 

Claro que estas 3 horas de espera não iam dar em boa coisa. Lá veio a minha amiga enxaqueca ter comigo. Eu avisei-a logo: “Xô!!! Se pensas que vens passar o fim-de-semana comigo, tas enganada! Tou farta de ti…” Mas ela insistiu em ficar um bocadinho só. Até me pediu de joelhos… Não tive outro remédio. Acabei passando a tarde esticada na cama acompanhada da minha amiga enxaqueca.

É mau negócio ir para estas secas mal alimentada e levar com um ar condicionado gelado. Já para não falar da quantidade de tempo gasto à espera.

Mas eu ia adivinhar que hoje ia ser o pior dia?!?

 

Um sábado calorento...

 

Mais um fim de semana de rotina na companhia do N.

Hoje fez bastante calor aqui mas nada que se compare às temperaturas que se verificaram no ano anterior.

Levantei-me, fui tomar o pequeno almoço ao sr. Jacinto cuja esposa (D. Arlinda) faz uns salgadinhos divinais, só comparáveis aos da D. Irene. Depois fui fazer as compras triviais e fui almoçar a casa dos meus pais.

Devido ao calor que estava, e não apetecia nada sair de casa, resolvi ocupar o meu tempo a arrumar o meu quarto pois devias estar com algum pózinho e pêlo de cão a mais, uma vez que o meu nariz tem-se queixado bastante.

Mas isto só gente maluca como eu é que se lembrava de meter em limpezas profundas com um calor destes...

O N. lá me ajudou a aspirar e a sacudir tapetes pois essas tarefas o meu nariz proibiu-me de as fazer.

Seguiu-se uma banhoca geral, cão incluído.

Depois fui fazer a paparoca (gaija, fiz as beringelas recheadas, experimenta!). Enquanto o N. levou o Pi à rua eu arrumei a cozinha.

Agora estamos na moleza. O N. es tá a ver bola, eu a blogar e o Pi está deitado aos meus pés, como se eu tivesse frio nos pés, mas ele tem uma necessidade extrema de estar sempre em contacto físico connosco. eu digo que ele pensa que eu sou a mãe dele.

Estou a ouvir o Paulo Bento e os famosos "aaa" no seu discurso. Faz-me lembra uma colega de universidade que durante a apresentação de um trabalho de Literatura Portuguesa disse 84 "portanto", fora os que não contei. até o professor lhe chamou à atenção.

E está a ser assim o meu sábado. Só falta mesmo enfiar-me na cama às tantas da manhã.

IP= Ixtúpido e Parvo (o computador!)

Ai, ai… Lá vou eu desenrolar os meus acontecimentos do dia… Que foi mais rotineiro que eu sei lá!

Epá, levantei-me com uma soneira descomunal. Abri um olho e depois o outro e nem queria acreditar que já estava na hora de me por a pé. Mas lá fiz o sacrifício.

Levei alguns 40 minutos de seca na paragem da camioneta pois não passava nenhuma. Caraças, pá! Se eu tivesse adivinhado tinha ficado mais 10 minutinhos na cama!

É claro que cheguei atrasada às aulas mas ninguém se chateou…lol!

Hoje foi dia de revisão para os testes das próximas aulas. É que se não for assim, aqueles miúdos tiram zero a tudo. A sério! Nunca vi crianças com tanta falta de métodos de estudo e de trabalho. Acho que nunca ninguém lhos ensinou…

Quando cheguei a casa tinha o meu PC a fazer “greve à net”. Deve ser excesso de trabalho. Não queria ligar de maneira nenhuma. Era o não sei quê do IP. Um ganda filho do IP me saiu ele!!! Eu aqui aflita pa resolver um assunto urgente e ele com aquela conversa do IP. Tive que ir beber um café, ou melhor um descafeinado, antes k lhe enfiasse um IPontapé pelas drives adentro!

Já mais calma, lá liguei ao meu mais-que-tudo, que é o meu salvador destas coisas, e lá resolvi o problema.

Fiquei a saber que o meu Pizoco tá doentinho … parece que sai à dona pois o problema é parecido. E dói tantinho. O que vale é que o dono já deu remedinho e dá miminho.

Hoje vou-me deitar mais cedo, ou pelo menos vou tentar…

Já há muito tempo que não me enfio na cama a ler um livrinho e é mesmo isso que vou fazer.

Lá têm de gramar com o blog mais cedo. E faxavor de LEREM também uns livrinhos!!!....